Menu Fechar

COMUNICADO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE GESTÃO DE SÁUDE (SPGS)

PARA SE ACABAR COM A POTENCIAL POLÉMICA DA UTILIZAÇÃO DAS MÁSCARAS DE PROTEÇÃO

  • Face ao que parece estar a ser uma polémica sobre a utilização de máscaras e das recentes mudanças de posição sobre as mesmas em vários países e mesmo pelo Centro de Controlo e Prevenção da Doença (Center for Disease Control and Prevention, CDC), a direção da SPGS decidiu emitir o seguinte comunicado com base na evidência clínica mais recente e tendo em conta a realidade do país em que vivemos neste momento:
  1. As mudanças recentemente preconizadas por organismos competentes sobre o uso de máscaras tem a ver sobretudo com o facto da variante delta ser predominante praticamente em todo o mundo com uma capacidade de infecciosidade e transmissibilidade muito maior que o vírus e variantes iniciais;
    1. As vacinas atualmente utilizadas não protegem na totalidade a infeção pelo vírus, mas previnem geralmente doença grave e morte;
    1. Para além disso sabe-se que, por exemplo, a eficácia da vacina produzida pela Pfizer e BioNTech na prevenção de doença, que seria de 95% em janeiro deste ano, terá baixado para valores de 40% ou menos neste momento em Israel por causa da variante delta; No Reino Unido a eficácia também baixou, embora menos, porque aqui foram utilizadas também outro tipo de vacinas que provavelmente resistem melhor e/ou mais tempo ao vírus.
    1. As pessoas vacinadas podem assim contrair a doença, embora raramente, e serem potenciais transmissores do vírus.
  • Tendo em devida conta estes factos que foram transmitidos aqui de forma muito resumida e a noção de que a maioria dos portugueses utilizam as máscaras em espaços fechados sendo que esse número baixa significativamente na rua e em especial na orla costeira, aconselhamos que os portugueses:

– UTILIZEM CONSTANTEMENTE E DE FORMA ADEQUADA AS MÁSCARAS EM TODOS OS ESPAÇOS FECHADOS DESDE ÁREAS COMERCIAIS A HOSPITAIS pois é manifestamente impossível evitar uma possível contaminação em espaços confinados e de menor distanciamento social;

– QUE ESSA UTILIZAÇÃO EM ESPAÇOS ABERTOS POSSA SER CONSIDERADA OPCIONAL PELA DGS POIS A CONTAMINAÇÃO BAIXA CONSIDERAVELMENTE AO AR LIVRE ONDE É POSSÍVEL UM DISTANCIAMENTO RAZOÁVEL, especialmente para quem já foi vacinado com as doses adequadas e decorridos as 2 semanas após a última toma;

– QUE TODOS AQUELES QUE SOFRAM DE DOENÇAS QUE COMPROMETEM AS SUAS DEFESAS IMUNITÁRIAS DEVERÃO UTILIZAR SEMPRE AS MÁSCARAS EM TODOS OS LOCAIS independentemente de estarem ou não vacinados;

– Por fim pensar rapidamente no que fazer aquando do regresso à escola e imaginando que conseguiremos que uma extensa maioria daqueles que frequentam a comunidade escolar estejam corretamente vacinados : atualmente os organismos competentes apontam para a utilização da máscara em ambiente escolar para todos os intervenientes mas teremos que esperar pelas próximas semanas para uma decisão mais robusta sobre este assunto pois NÃO PODEMOS VOLTAR A CONFINAR OS JOVENS SOB PENA DE DANOS IRREVERSÍVEIS NO SEU CRESCIMENTO SAUDÁVEL.

Acrescente-se que a decisão de vacinar todas as pessoas acima dos 12 anos de idade é uma medida adequada,sensata e com considerável evidência clínica sobre os seus benefícios.

Dr. Miguel Sousa Neves

Presidente da Direção da SPGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *