Siga-nos no Facebook

Total de Visitas: 228805

Horários alargados nos centros de saúde de vários pontos do país por causa da gripe

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Sábado Jan 6, 2018

Pelo menos na região de Lisboa e Vale do Tejo, no Norte do país e em Coimbra. Vem aí muito frio e é esperado que chegue o pico da gripe.

Um pouco por todo o país, os centros de saúde vão estar abertos em horário alargado, e também ao fim de semana, por causa da gripe e do frio que vai agravar-se nos próximos dias.

A Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo anunciou o alargamento de horário durante a semana e ao fim de semana pelo menos até dia 28 de janeiro. Durante a semana vão funcionar 35 centros de sáude, ao sábado 47 e ao domingo 37. Um reforço decretado tendo em conta o período de inverno e o esperado pico da gripe. Veja aqui a lista.

Também a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) anunciou horário alargado em 44 centros de saúde para adequar os serviços “às temperaturas adversas dos próximos dias”. Prevê-se, ainda, a abertura de 364 camas nos hospitais. Veja aqui a lista.

Saiba tudo em: http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/centro-de-saude/horarios-alargados-nos-centros-de-saude-por-causa-da-gripe


Parcerias Público-Privadas na Saúde custaram €479 milhões ao Estado em 2017

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Sexta-feira Jan 5, 2018

As Parcerias Público-Privadas (PPP) na Saúde custaram 479 milhões de euros ao Estado em 2017, mais 32 milhões de euros face ao valor previsto inicialmente pelo Governo, segundo noticiou o “Correio da Manhã” neste início de ano. Grande parte deste aumento de custos – cerca de 29 milhões de euros – é referente à PPP do Hospital de Braga, cuja gestão está entregue ao grupo José de Mello Saúde.

No relatório das Projeções de Encargos Plurianuais do Orçamento de Estado 2018, os economistas da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) apontam que a PPP do Hospital de Braga custou em 2017 cerca de 173 milhões em vez dos 144 milhões de euros previstos.

O mesmo documento revela que, no final de 2016, a Entidade Gestora do Hospital de Braga apresentou um pedido de Reposição do Equilíbrio Financeiro (REF), em que o valor peticionado ascendia a 33 milhões de euros.

Leia o artigo completo em: http://expresso.sapo.pt/revista-de-imprensa/2018-01-02-PPP-na-Saude-custaram-479-milhoes-ao-Estado-em-2017


Quase 280 mil utentes escolheram o hospital que queriam para ter uma consulta

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Sexta-feira Jan 5, 2018

Fazem-no sobretudo quando precisam de consultas de ortopedia, otorrino, ofltamologia e dermatologia, as que apresentam maiores tempos de espera. Cerca de 167 mil utentes optaram pelos grandes centros hospitalares de Lisboa e Porto para serem atendidos. A possibilidade de escolher um hospital diferente do da área de residência existe desde Junho do ano passado.

No último ano e meio perto de 278 mil utentes escolheram um hospital diferente do da sua área de residência para ter uma consulta da especialidade. E destes, cerca de 167 mil optaram pelos grandes centros hospitalares de Lisboa e Porto para serem atendidos. No topo das áreas que levaram os utentes a exercer o direito do livre acesso no Serviço Nacional de Saúde (SNS), criado em Junho de 2016, estão dermatologia, ortopedia, otorrino e oftalmologia.

A percentagem de utentes a exercer o livre acesso, 10,7% dos que foram referenciados pelos médicos de família para uma consulta hospitalar, tem-se mantido constante desde que esta possibilidade foi criada.

Leia a notícia completa em: https://www.publico.pt/2017/12/18/sociedade/noticia/mais-de-270-mil-utentes-escolheram-um-hospital-diferente-do-da-residencia-para-ter-uma-consulta-1796244


Médicos ativam ‘legítima defesa’ no SNS

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quinta-feira Jan 4, 2018

É uma nova forma de protesto, individual e sem ruído. Dezenas de especialistas de hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) estão a assinar declarações de isenção de responsabilidade sempre que têm de prestar cuidados sem os meios necessários. Em falta podem estar mais colegas ao serviço, exames ou até tempo para consultas ou cirurgias.

A denúncia é feita pelo Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos (OM): “O médico assume por escrito que as condições em que está a exercer não são as ideais e que a responsabilidade dos seus atos não é totalmente sua”, explica o presidente, Alexandre Valentim Lourenço. Os ‘documentos de legítima defesa’ foram idealizados pela própria Ordem em setembro, no auge do protesto dos enfermeiros parteiros recusando funções nos blocos de partos, e desde então têm chegado “em surtos, por exemplo de todos os médicos de um serviço ou de mais de 60 especialistas do mesmo hospital”.

Leia a notícia completa em: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-12-30-Medicos-ativam-legitima-defesa-no-SNS-1


Novo ano arranca com 2.179 novos internos no SNS

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quarta-feira Jan 3, 2018

No corrente mês, iniciam funções, nas instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS), 2.179 médicos internos do ano comum e 1.758 médicos internos de formação específica, de acordo com a nota emitida pelo gabinete do Ministro da Saúde.

O Governo, através da Administração Central do Sistema de Saúde e em estreita cooperação institucional com a Ordem dos Médicos, “está empenhado na excelência formativa destes 3.937 novos profissionais”, pode ler-se.

Este número representa um aumento de 98 médicos em formação, face ao ano passado.

Leia a notícia completa em: http://www.jornalmedico.pt/atualidade/34543-novo-ano-arranca-com-2-179-novos-internos-no-sns.html