Siga-nos no Facebook

Total de Visitas: 284365

Garantia de Qualidade e Eficiência em Saúde

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Sexta-feira Set 14, 2018

Objetivo: Compreender a literatura relativamente a garantia e eficiência na prestação de serviços de saúde.

Método: Revisão sistemática da literatura com base em dois descritores validados pela DeCS (quality of healthcare, efficiency organizational) na base de dados SciELO e PubMed resultando em cinco artigos de base ao presente estudo.

Resultados: O uso de sistemas informáticos e protocolos de base aos cuidados de saúde demonstraram uma maior qualidade e eficiência nos mesmos, a prestação de cuidados de saúde por uma equipa multidisciplinar resultaram numa maior qualidade de serviço, apesar do processo ser lento assim como a prestação de cuidados de saúde por profissionais com mais anos de experiência demonstrou maior eficiência.

Conclusões: A qualidade e a eficiência nos cuidados de saúde é alcançada por uma equipa multidisciplinar ou profissionais com maior experiência coadjuvados de sistemas informáticos que apoiam a tomada de decisão clínica.

Por Liane Raquel Pinho dos Santos e Nuno Miguel Faria Araújo

O artigo integral pode ser consulta na edição de setembro da Revista Portuguesa de Gestão de Saúde


Satisfação com o Internamento em Pediatria: modelo explicativo e desenvolvimento do instrumento de medição

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Terça-feira Set 11, 2018

Resumo:

A Pediatria tem muitas especificidades, nomeadamente a dificuldade em avaliar a satisfação com os cuidados, por envolver diferentes pessoas com diferentes perspetivas. Desta forma, há necessidade de compreender como se pode avaliar a Satisfação com os cuidados na Pediatria. Neste artigo, explora-se os modelos explicativos e os instrumentos que permitem avaliar esta dimensão. Apresenta-se o modelo explicativo da satisfação para compreender as discrepâncias entre as diferentes perspetivas. A performance experienciada, tem uma influência direta na satisfação e que as prioridades, e as discrepâncias entre as expectativas e a performance experienciada também influenciam a satisfação.

Realizou-se pesquisa em bases de dados, sobre questionários validados sobre a Satisfação em Pediatria e da sua análise elaborou-se uma proposta de questionário que avalia 12 dimensões.

Por André Caetano Oliveira

Leia o artigo completo na edição de setembro na Revista Portuguesa de Gestão em Saúde


Revista Portuguesa de Gestão & Saúde nº24: setembro 2018

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Terça-feira Set 4, 2018

A Revista Portuguesa de Gestão & Saúde (RPGS) edição nº24 já se encontra disponível para acesso online.

Este número conta com os seguintes artigos:

  • Relatório da ACSS, Mais Acesso, Atividade Assistencial e Recursos no SNS;
  • Acesso a Cuidados de Saúde nos Estabelecimentos do SNS e Entidades Convencionais;
  • Cuidados de Saúde Primário: prioridade da política de saúde;
  • Relatório Social do Ministério da Saúde e do SNS – 2017;
  • Retrato da Saúde 2018;
  • “Garantia de Qualidade e Eficiência em Saúde” – Liane Raquel Pinho dos Santos e Nuno Miguel Faria Araújo;
  • “Recentes Estratégias na Contratualização de Cuidados de Saúde Centrada no Utente e nos Resultados. O foco no acesso, eficiência e qualidade” – Alexandre Morais Nunes e Andreia Afonso de Matos;
  • “Satisfação com o Internamento em Pediatria. Modelo explicativo e desenvolvimento do instrumento de mediação” – André Caetano Oliveira;
  • “Na Encruzilhada do Serviço Nacional de Saúde. Tributo a António Arnaut” – J. M. Gonçalves de Oliveira;

Ficheiro disponível em: http://www.jornalmedico.pt/wp-content/uploads/rpgs/rpgs024

 


Saúde baseada no Valor – A conciliação da Inovação com a Sustentabilidade em Saúde

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quarta-feira Abr 18, 2018

A Saúde enfrenta, desde há décadas, problemas críticos que ameaçam o futuro do sector, nomeadamente, a insustentabilidade financeira do sistema, a inadequação do modelo organizacional e de gestão, a desadequação do planeamento e gestão de recursos humanos, a falta de clareza no papel das entidades privadas, a falta de informação com qualidade, as fragilidades do modelo de financiamento e a ausência de planeamento estratégico.

Na transição para uma sociedade do conhecimento, é fundamental apostar no apoio á inovação, que incida sobre processos, produtos e serviços, tecnologia, organização e gestão, o que implica, em primeiro lugar, uma Mudança Comportamental, nas atitudes e nas relações sociais, para a construção de políticas públicas adaptativas que possibilitem a Mudança do Modelo de Negócio, do Modelo Organizacional e dos Modelos de Gestão.

A Saúde em Portugal tem que ser alvo de reformas profundas para, num quadro de sustentabilidade continuar a garantir a qualidade dos cuidados prestados e assegurar a competitividade da cadeia de valor envolvente.

É precisamente no conceito de criação de Valor que se concilia a Inovação com Sustentabilidade e vice-versa estabelecendo a base para a fundação de todo um Novo Sistema de Saúde baseado em Valor.

Leia o artigo completo em: http://www.jornalmedico.pt/wp-content/uploads/rpgs/rpgs023/mobile/index.html#p=6


Mensagem: ADSE, a “desnatação” e o Ministro

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Sábado Abr 14, 2018

Não sei qual o ponto da situação das alterações no contrato da ADSE com os seus prestadores mas apoio incondicionalmente o seu Presidente quando tenta obter o equilíbrio natural do melhor seguro de saúde existente em Portugal. Mesmo com todos os cortes que a instituição ADSE possa “inflingir” aos seus prestadores, o Dr. Liberato Baptista poderá dormir descansado pois que os prestadores (voluntários) nunca ficarão prejudicados… poderão é não ganhar enormidades!
Preocupa-me ouvir falar da “libertação” por parte de algumas unidades hospitalares especialmente com contratos PPP de pacientes que não “rendem” em troca daqueles que são muito lucrativos. Espero que as entidades responsáveis estejam atentas.
O Ministro da Saúde tem sofrido as circunstâncias de um país em crise e a ideia de que um governo da geringonça poderia mudar radicalmente o panorama da saúde em Portugal. Confio na vontade e nas capacidades do atual ministro e só espero que haja algum bom senso do lado das Finanças pois que alguns investimentos são mesmo lucrativos para o SNS além de elevarem o moral de quem está lá e veste a camisola!

Mensagem da RPGS Nº 23

http://www.jornalmedico.pt/wp-content/uploads/rpgs/rpgs023/mobile/index.html#p=4