Siga-nos no Facebook

Total de Visitas: 259543

Novos acordos para Carreiras farmacêuticas

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quarta-feira Jul 18, 2018

O Ministério da Saúde celebrou ontem, dia 16 de julho de 2018, dois acordos coletivos com os sindicatos representativos dos trabalhadores integrados nas carreiras farmacêuticas, numa reunião que foi presidida pela Secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos. Estes acordos beneficiam um total de 400 pessoas.

Um dos acordos aplica-se aos trabalhadores em funções públicas e contém, entre outros elementos, normas sobre a organização e prestação de trabalho, segurança e saúde no trabalho e de serviços mínimos em caso de greve.

O segundo acordo, aplicável aos trabalhadores com contrato individual de trabalho, equipara os profissionais com este tipo de contrato aos trabalhadores em funções públicas, designadamente no que respeita às matérias acima referidas, assim como através da aplicação do mesmo regime remuneratório, reduzindo também o Período Normal de Trabalho destes trabalhadores de 40 horas semanais para 35 horas.

Os acordos foram assinados com o Sindicato Nacional dos Farmacêuticos, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades Com Fins Públicos e o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e de Entidades com Fins Públicos.

Leia o artigo completo em: https://www.sns.gov.pt/noticias/2018/07/17/carreiras-farmaceuticas/


Sofia Portela nomeada presidente da ADSE

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quinta-feira Jul 12, 2018

Sofia Portela, que era vogal da ADSE, vai substituir Carlos Liberato Baptista na presidência do Instituto Público. A nomeação foi aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

A avaliar pelo comunicado do Conselho de Ministros, Sofia Portela ficará à frente do instituto público até 2020. O comunicado explica ainda que Sofia Maria Lopes Portela foi nomeada para o cargo de presidente do conselho diretivo do Instituto de Proteção e Assistência na Doença” em virtude da renúncia ao cargo efetuada pelo atual presidente e para completar o mandato em curso que termina em 16 de março de 2020.

Licenciada em gestão e doutorada em métodos quantitativos aplicados, Sofia Portela é também professora universitária. No início da sua carreira foi consultora e passou pela Sonae.com, de acordo com a biografia publicada em Diário da República.

Eugénio Rosa é o vogal eleito pelo Conselho de Supervisão, mas falta nomear o segundo vogal. A reunião que estava marcada para esta tarde com os representantes dos sindicatos, dos aposentados e dos beneficiários, terá sido adiada por causa do calendário de nomeações.

Notícia completa em: https://www.jornaldenegocios.pt/economia/funcao-publica/detalhe/sofia-portela-passa-de-vogal-a-presidente-da-adse

Conheça o Currículo da nova presidente da ADSE aqui: https://ciencia.iscte-iul.pt/authors/sofia-maria-lopes-portela/cv


Presidente SPGS fala sobre Serviço Nacional de Saúde no maior debate da televisão portuguesa

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Terça-feira Jul 10, 2018

Miguel Sousa Neves, presidente da Direção da Sociedade Portuguesa de Gestão em Saúde participou esta segunda-feira, dia 09 de julho, no programa da RTP Prós e Contras.

O tema de mais uma edição do maior debate televisivo em Portugal foi “Serviço Nacional de Saúde a melhorar ou a piorar” e o médico oftalmologista apresentou alguns números do que tem sido feito no Serviço Nacional de Saúde.

No painel estavam ainda Margarida França, administradora hospitalar, Rui Nunes, professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Vanda Veiga, enfermeira especialista em Enfermagem Médico Cirurgia, Manuel Antunes, cirurgião cardiotoráxico do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, e Sérgio Gomes, enfermeiro da Direção Geral de Saúde.


Ministro da Saúde diz que contratações nos hospitais estão em curso

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quinta-feira Jul 5, 2018

Cerca de 1.600 profissionais de saúde foram contratados até maio para responder à passagem às 35 horas semanais de trabalho e a maioria das 2.000 contratações adicionais já foi autorizada.

O ministro Adalberto Campos Fernandes entende que a “esmagadora maioria das situações” nos hospitais, com a passagem às 35 horas de enfermeiros, técnicos e assistentes a 1 de julho, está a “correr normalmente”.

“Existem mais 50 hospitais e Unidade Locais de Saúde em Portugal e até agora terão sido identificadas uma ou duas situações [com problemas], mas o sistema está preparado para que, nas instituições onde possa ter havido uma menor aferição do planeamento, essas situações serão corrigidas. A esmagadora maioria das situações está a correr normalmente”, afirmou o ministro da Saúde aos jornalistas, no final de uma conferência da indústria farmacêutica que decorreu em Lisboa.

Notícia completa em: https://www.tsf.pt/sociedade/saude/interior/ministro-diz-que-hospitais-estao-em-situacao-normal-e-que-contratacoes-estao-em-curso–9543367.html

 


Cuidados de Saúde Primários – Prioridade da Política de Saúde

Publicado por Dr Miguel Sousa Neves em Quinta-feira Jun 21, 2018

– 113 novos Centros de Saúde em projeto e em construção

– Modernização do parque informático (13000 computadores)

– Maior número de Médicos de Família

– Maior taxa de cobertura de cidadãos por Médico de Família (93 %)

– Maior número de USF tipo A e B (no final da legislatura serão 100 novas)

– Maior colocação de sempre de enfermeiros nos CSP (776) reforçando em qualidade e experiência profissional os CSP Reforço de viaturas para apoio domiciliário

– Alargamento dos programas de rastreio

– Consultas de cessação tabágica em todos os ACES

– Melhoria da resolutividade dos CSP (saúde oral e visual)

– Reforço de competências multiprofissionais (Psicólogos e nutricionistas)

A partilha de informação factual, com dados validados, online e em cada momento (e não apenas periodicamente) é determinante para o debate do cidadão sobre objetivos a atingir em Saúde e de como fazer opções na gestão de recursos finitos para responder a expectativas que nunca o serão. Num sistema harmonioso e em que convivem parceiros públicos, privados, do setor social sob escrutínio permanente de cada cidadão e de grupos representativos de profissionais, investigadores e doentes/cidadãos.